27 de dezembro de 2013

Loucuras Da Minha Vida

Parecem aquelas histórias que seu tio conta na ceia de natal, aquelas que você escuta seu professor mais velho contar como se fossem filmes de ação, que seu pai jura que vivenciou: parecem brincadeira, mas são verdade. Aqui vão, loucuras cometidas por mim, e que eu pretendo não fazer denovo (embora provavelmente vá fazer pois sou incrivelmente esperta):
1- Entalar a cabeça na grade do zoológico: Quando eu tinha uns 4 anos meu passatempo favorito era visitar o zoológico. Sempre tive uma obsessão por  animais, então volta e meia meus pais tinham que me levar no zoológico para saciar minha fixação. Um dia, em que eu estava inclinada a adorar águias, eu resolvi dar uma olhada nelas mais de perto. A cerca era de madeira, tábuas mais grossas na vertical sabe? Enfiei a cabeça entre essas tábuas, e quem disse que a maldita saía depois? Foram necessários vários minutos e muita força pra tirar minha cabeça de lá. Da próxima vez que visitei o local, as grades eram todas de fios de arame. Vai saber..
2- Ir a um Show da Sandy e Júnior: Não preciso dizer mais nada. Além do mais, peguei catapora lá.
3- Ir caminhar em dia de tempestade com três mulas e um guarda-chuva: Esse episódio foi com minhas primas: decidimos comprar açaí, levamos apenas um guarda-chuva porque ninguém acreditava que choveria de fato. Descemos até uma linha de trem e começou a chover. Subimos correndo nos chuviscos, e para não nos molharmos, paramos em um toldo (até aí a chuva tava fraca). Nesse momento, a chuva aumentou muito e saímos os quatro gordinhos dentro de um só guarda-chuva, parecendo pinguins. Meu lado direito nunca esteve tão seco se comparado ao esquerdo. Resumindo, não adiantou nada e chegamos encharcados em casa. Além das minhas primas retardadas ficarem pulando na chuva cada vez que dava um trovão, e quase caíam na enxurrada que chegava até os joelhos. Meu irmão e eu lá atrás tentando resgatar as duas loucas. Tenho um post descrevendo essa história com mais detalhes: Banho de Chuva.
4- Viajar para cavernas: Era uma viagem da Viver, minha primeira viagem, pra ser sincera. Digo a viagem inteira porque foi inteira uma loucura. Entrei em cavernas com água até o pescoço e o teto da caverna raspando nos meus cabelos. Mergulhei para atravessar um pedaço da caverna, e me enfiei dentro de uma cachoeira dentro da caverna. Quase pisei em uma cobra coral e depois queria brincar com um gambá raivoso. Entrei em cada coisa, me enfiei em buracos e me entalei denovo. Foi uma desgraça atrás da outra, mas foi uma das melhores viagens da minha vida.
5- Correr de onça no Pantanal: Viagem da escola denovo. Estávamos em uma pousada no meio do pantanal. A professora resolveu fazer uma caminhada noturna, dispensando guia, lógico, e levou todos os alunos de 13 anos junto. Com 13 anos, eram todos barulhentos e estabanados. Em meio a brincadeiras, chutes em matos e gritos, a professora mandou todos ficarem quietos e apagarem as luzes. No momento em que a última luz foi apagada, de mais ou menos meio metro do grupo, veio um rugido tenebroso. Saiu todo mundo correndo, se empurrando, se espancando. A professora depois disse que foi um jacaré, mas eu tenho certeza que jacaré não ruge, e muito menos um rugido parecido com o do leão.

Essas são algumas, com certeza tenho mais, mas no momento não me lembro de todas. Como está um calor do caramba, e o notebook está começando a esquentar demais, vou deixando por aqui. Depois falo mais sobre outras histórias loucas da minha vida, como me pintar de verde e procurar duendes no meu quintal. Mas isso fica pra outro dia.

Beijos

Ariel Z.

Um comentário:

  1. UAHEUAHEAUEH JESUS... EU LEMBRO DESSA DA ONÇA KKKKKKKK Que perigo mano!

    ResponderExcluir