30 de setembro de 2013

Oh... O amor!


Oh... O amor!

Bem, é complicado para mim dizer exatamente o que o amor representa, principalmente durante o meu dia a dia, já que eu não posso estar o tempo inteiro me dedicando a senti-lo, a absorvê-lo como eu deveria. São muitos os problemas que me assolam em um relacionamento a distância, como por exemplo: a própria distância! Achava que seria fácil demais e muito melhor por sinal, já que com a saudade, eu passaria a dar mais valor as coisas. E eu estava certo. Mas e ai, o que acontece? O sofrimento surge, devido ao valor tão imenso que é atribuído ao seu amor, e você passa a não conseguir mais enxergar outra coisa que não seja a ela. Não se concentra mais para estudar pois não tira ela da cabeça, passa longos minutos olhando para as suas fotos e beijando-as. É complicado eu sei. Se você passa o que eu passo ou ao menos algo parecido, já sabe que é questão de minutos para você se arrepender... Não de ter começado a namorar ou de achar que escolheu a garota(o) errada(o), mas de ter pensado anos atrás, de que seria uma situação fácil de se lidar.

A dona deste blog, a Ariel, é minha namorada já faz 2 anos e 2 meses, e eu só passei a amar ela cada dia mais, e a sofrer de saudade cada dia mais, por conta da distância. Não posto muitas coisas aqui pois eu realmente não tenho tempo. Mas quero dedicar este post a vocês que amam muito seus/suas namorados(as) e especialmente a Ariel, que é a menininha que eu mais amo nessa vida! Conheço você a tanto tempo Ariel, conheço tudo sobre você e mesmo assim você ainda consegue me surpreender cada dia mais! Não quero te deixar jamais. Eu te amo! <3

Do seu foquinha!
Te amo pra sempre! :3

25 de setembro de 2013

A Campainha Assombrada

Todo mundo tá sabendo desse filme que saiu semana passada, ou na outra, sei lá: Invocação do Mal, certo? Bem, domingo minha família toda, menos eu óbvio, foi assistir esse filme. Me contaram a história, tudo e talz. Eu como sou uma pessoa muito corajosa, só de ouvir os comentários sobre o filme já fiquei me cagando de medo. Pois bem, posso me considerar a pessoa mais sortuda do mundo: hoje eu fui atormentada por uma campainha amaldiçoada.

É sempre assim. SEMPRE! Essa tarde eu fiquei sozinha em casa com a Gi (a empregada), meu pai e meu irmão não estão aqui e minha mãe trabalha durante a tarde. Eu estava deitada na rede assistindo A Onda, bem no fundo do quintal. A Gi estava indo embora, e ela veio me falar:

- Ariel, não abre a porta pra ninguém tá?

- Tá bom Gi!

Não dá nem 10 malditos minutos que ela saiu, me toca a campainha. Mas não foi um "simples" toque, foi um maldito que ficou 5 minutos sem parar tocando loucamente e insistentemente. Quase fiquei surda tentando atender a porcaria. Parou de tocar. Liguei desesperada pra minha avó, e ela foi na rua ver. Não tinha ninguém. Depois de 5 minutos, a encapetada volta a tocar. Mais 5 minutos de tormento. Na terceira vez que ela tocou, eu liguei a câmera para ver quem era o desgraçado que estava perturbando a minha paz. Só que eu não esperava isso: NÃO TINHA NINGUÉM, NEM VENTO LÁ FORA. A campainha TOCAVA ENQUANTO NÃO TINHA NADA LÁ FORA. A cachorra estava se jogando no portão como se o próprio bode dos infernos estivesse do outro lado. As cachorras do quintal latiam até doer os ouvidos do bairro todo. Eu fiquei olhando besta a tela. Depois disso, a campainha maldita tocou mais 5 vezes. Sabe quando ela parou? NA HORA, NO INSTANTE EM QUE O CARRO DA MINHA MÃE ABRIU O PORTÃO E MINHA VÓ VEIO VER A CAMPAINHA. Olha que beleza.

Tenho certeza que era o espírito de porco de algum atormentado que passou a vida tocando campainha e correndo depois. Cer-te-za.

Bem gente, hoje eu posso afirmar que vivi uma experiência paranormal, e não adianta minha mãe dizer que foi problema no circuito da campainha, eu sei que foi o porco das labaredas infernais.

video
Olha gente, lembrei do filme e quase morri aqui. Me desejem sorte. Adeus mortais.

Ariel Z.

24 de setembro de 2013

Será?

A vida muda, e muda depressa. Hoje caiu minha ficha de que passei pela metade do Ensino Médio. Em menos de 2 anos alguém vai me entregar um diploma que assinala a conclusão desses 3 anos tão decisivos. E 2 anos atrás, onde estava eu? Para mim, parece que foi ontem. Lembro vividamente dos meses de agosto, setembro, outubro e novembro que precederam meu aniversário de 15 anos.

Nesses meses eu estava no começo do meu namoro. Desenhei uma locomotiva e seu motor a vapor. Desenhei estrelas de 3 a 9 pontas na aula de geometria. Tive aulas de jardinagem. Escutei muito David Bowie. Trocamos a TV da sala aqui em casa e eu ficava jogando um joguinho novo do Xbox, chamado Viva Piñata. Fui viajar com a turma toda para trabalhar em uma fazenda. Saltei com um cavalo pela primeira vez. Comi morangos direto do pé. Fiz geleia e queijo fresco. Perdi meu iPod nessa viagem. Fiz meu FCE da Cambridge e fui aprovada com B. Mais do que esses acontecimentos, eu me lembro dos sentimentos e das sensações de todos eles. De como minha barriga dava voltas quando meu namorado vinha me visitar. Do nervoso e da superação de fazer e entregar todos os trabalhos e desenhos difíceis da escola. Do calor e do suor das aulas e jardinagem, e principalmente da professora. De ir todos os dias dormir ouvindo As The World Falls Down. De acordar antes de todo mundo no fim de semana e jogar esse jogo na TV nova como se não houvesse amanhã. De acordar cedo na fazenda, com frio, e ir ordenhar a vaca no pasto do outro lado do mundo. De ficar fazendo os relatórios na nossa hora livre, enquanto todo mundo passeava pela fazenda. De subir no sino da igreja e ficar lá em cima olhando tudo. De correr a cavalo sem ninguém pra me falar aonde ir. De chegar em casa e descobrir que o iPod não estava na bolsa. Da ansiedade para fazer o FCE. Foi um ano muito especial e inesquecível para mim. Sinto tudo isso, desejo tudo isso, como se tivesse acontecido há alguns meses. Mas hoje caiu a ficha: faz 2 anos.

Isso me fez perguntar: aonde vou estar dentro de 2 anos? Será que vou me lembrar desse ano com o mesmo carinho? Vou estar no cursinho? Vou estar em uma faculdade?

Nisso me lembrei de todos os momentos especiais dos meus últimos anos. Principalmente das viagens com a escola. Meu irmão vai para o Petar amanhã, e eu fiz essa viagem faz 5 anos. Eu sinto que estive lá há menos de 3 meses. E o Pantanal então? Foi no mesmo ano em que criei este blog, então acreditem: faz tempo. Mas sinto como se tivesse sido semana passada.

Esse tempo passou muito rápido. 5 anos se passaram e para mim foram 2. Parece que foi ontem que  cheguei na Viver como aluna nova. E de novo me perguntei: e no futuro? Se o tempo passa tão rápido, para onde vou em alguns anos? Do que vou me lembrar? O que vai ser especial pra mim? Quem eu vou ser?

Será que não devemos aproveitar mais a vida? Será que não devemos criar mais momentos especiais dos quais nos lembraremos em qualquer futuro, próximo ou distante?

Apenas uma reflexão.

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração
                                                                   Epitáfio - Titãs

19 de setembro de 2013

Playlist - Owl City

Bem galera, como vocês puderam perceber, estive beeeem sumida. Acho que faz mais de 1 mês que não posto por aqui. É o seguinte: escola e provas. Estou tão louca com escola que estou quase postando dicas para estudar (se quiserem que eu faça isso, se manifestem). Com esse ritmo de provas inacabáveis, eu preciso ouvir músicas animadas, que me deem ânimo e alegria pra continuar estudando até altas horas sem dormir babando em cima dos livros. Owl City, para mim, faz exatamente isso. Em homenagem, fiquem com minha listas de músicas felizes: por Owl City!

                                                                       To The Sky

                                                                           Fireflies

                                                                      Umbrella Beach

                                                                       Hello Seattle

                                                                 The Saltwater Room

                                                                 Strawberry Avalanche

                                                           All About Us (ft. He is We)

                                                             The Technicolor Phase

Bem gente, é isso. Owl City tem MUITAS músicas bonitas, e atualmente é minha banda favorita (sim, eu sei que a banda é só o Adam, mas ainda é uma banda/projeto musical).

 É isso aí! Espero que minha playlist deixe vocês (poucos leitores que sobraram graças ao meu gracioso desaparecimento) bem animados!

Beijinhos!

Ariel Z.